PAULO OBRIGADA POR TODA BELEZA QUE TROUXESTES À MINHA VIDA,
VEJA ANJO QUE MARAVILHA!...
PRINCIPS, FILHO DA MINHA ALMA, IRMÃO DO MEU CORAÇÃO,
É COM ORGULHO E UMA EMOÇÃO INCONTIDA QUE REPASSO TÃO BELO CANTO,
ESTAR AQUI, DIVIDINDO ESTE ESPAÇO POÉTICO COM DUAS PESSOAS
QUE AMO TANTO, E MUITO ADMIRO!...
SÓ PODE TER SIDO PREPARADO POR DEUS PARA EU VIVER UM MOMENTO
DE TANTA FELICIDADE...
UM ABRAÇO, UM BEIJO NESSES DOIS CORAÇÕES TÃO BELOS.
 
C CRISTAL

SOLIDÃO, VEM!... TOMA CONTA DE MIM...
Paulo Nunes Jr. & Carmen Ortiz Cristal

Solidão, Senhora!...Companheira...
Senhora de uma vida vazia
O vazio, que atormenta minh’alma
Com a dor mais profunda,
No abandono de mim...
 
Senhora  minha!...
Trazes o silêncio que atormenta, 
Tira de mim o que tenho de mais legítimo!...
A esperança na vida, no amor...
A esperança de um dia encontrar a felicidade.
 
Solidão!...
Senhora das minhas noites insone,
De meus dias sem sol,
De minhas horas sem tempo real
Em que o motim de sentimentos
Traz a realidade do mais frio abandono
Você Senhora, que tanto machuca!...
Ao mesmo tempo me é companheira...
 
Oh!... Sentir ingrato...
Coração que se entrega sem luta!...
Entrega-se a ti, deixando-se dominar...
Seria eu um fraco em procurar em ti proteção!?
Proteção para fugir das verdades desta dor!...
As verdades de quem foi traído
Exposto a lama do não ser amado!?
 
Logo eu, que só fiz amar, dar de mim...
Para agora ficarmos apenas eu e você
A quem adoto por companheira
Para libertar-me de meus medos
De futuras frustrações, traições!...
 
Senhora que à muitos é bruxa,
Que de hora em diante faço a adoto.
Caminho a ser seguido!...Morte em vida...
Vem para mim!... Sem demora
Para juntos, percorrermos os mundos
Dá-me força...Empresta-me a coragem
Revela tudo aquilo que meu coração sente
Neste tempo de ingratidão
Um tempo em que busco esquecer,
Fugir de meus próprios sentimentos!...
 
Senhora!...Vem!...Entra...
Domina de vez minhas vontades
Mas seja piedosa, não me castigue
Já fui castigado!...
Não permita que meu coração se abra
A estranhos e aventureiros sentimentos. 
 
Vem proteja-me!...
Mesmo que me coloques por vezes,
No escuro aonde eu não possa ser notado!...
Vem, domina meu ser por inteiro,
Conduz meus caminhos...
Mas seja minha companheira
Protegendo-me das desilusões
Da dor do amor não correspondido.
 
Vem, toma o lugar desta paixão insana
Que me quer dominar!...
Fogo que arde, invade minhas entranhas,
Toma conta do meu presente
Reporta-me ao passado!...
Ocupa meus pensamentos mais íntimos...
Meus desejos.
Apaga a chama do querer sentir prazer...
Faz-me frio e inerte a este sentimento selvagem
Fazendo-me imune ao desejo da carne,
Pecaminoso!...
Cobra o que não consigo ser...
 
Vem senhora minha!...
Proteja-me de tudo que fere o coração
Abala minh’alma!... Desespera,
Fazendo-me quase desistir da vida...
Vem senhora, penetra em minha vida...
Traga o aconchego de tua muralha
 
Enfim estarei só!... Eu e você
Estarei em meu canto
Protegido de tantas dores
De tantas traições...
De tantas marcas e descasos!...
Da apatia de uma vida vazia
 
Vem solidão!...Senhora minha...
Toma conta de mim...
 
 
 
 
 
COMUNHÃO...
 

Chorem almas  comportadas que recebem na carne o fel  glacial,
Sente  o infinito universal ao teu  manto pesado o  martírio de dor,
Abrem –se as portas majestosas este limiar de súplica mortal,
Sedes amigos do tempo imutável,
do sentimento sabedor...

Secretem o lacre vertente incrustado  aos guerreiros,
Selem as verdades adicionadas aos prantos ávidos exauridos,
Lembrem-se do porvir de bênçãos acarinhados aos herdeiros,
Do legado do amor, dos lamentos ofertados, perpetuado e esculpido.

Esqueçam o nome da filha maligna  das dores feiticeira,
Varre de teus dias as insônias da paixão,
Agarre-te firmemente aos ideais por lutas verdadeiras,
Tuas penas têm contornos do Amor dos que se dão...

Deste meu Amor que deseja oferta-lhe o colo macio,

Deixem-me entrelaçar meus dedos em seus cachos,
deixem-me secar com meus beijos vossas lágrimas,
deixem-me lutar em vossas muralhas  como combatente da ingratidão,

deixem-me caminhar em teu sofrimento e aplacar sua dor,
Deixem-me invadir tuas marcas mais profundas, as marcas dos cristais,
De lá retirar os extratos da sabedoria, do esquecimento e do perdão,

Deixem-me, por fim, meus amados, percorrer-lhes o espírito docemente e replantar lá em vossos corações as sementes do Amor perdido...
e, tão somente, dizer-vos:
EU vos Amo!!!

“Sabiam”?

Princips
03.01.06
 

 
  
 

Indique este Site!