Pássaro liberto

 

 

Rasgo o peito,

retiro minhas frustrações... 

Cada partícula de mágoa,

 de ressentimento,

eu jogo no poço do esquecimento! 

Procuro o vale do perdão

 e, lá, deposito tudo,

que me fora feito de mal,

por aqueles que abusaram de mim...

Lanço-me nestes vales infinitos,

 a fim de livre e de alma límpida

 buscar a minha felicidade...

 Meu amor que a minha espera estará!

E, como um pássaro liberto,

 abro as portas d'onde estava aprisionado,

 à espera de que você recobrasse

a memória de nosso amor...

 E tomo distância,

sepultando de vez tua lembrança,

 que, agora, já não faz mais coro

com os novos rumos, a mim apresentados...

Quero voar, gritar, sorrir, brincar!

Sei lá, quero amar, aqui, acolá...

Quero levar o sorriso ao rosto triste;

 dar as mãos a meus irmãos;

 andar sem medos...

 Liberto-me desta escravidão

e das amarras que colocaste

em meu coração...

Fica, agora, tu aí no seu mundinho

"de faz de conta"...

Continua a mentir a ti mesma

e a quem contigo está...

 Porque, em meu novo mundo,

tu já não cabes mais...

 Agora, sou liberto deste sentimento,

 que me corroía, a quem entreguei

 juventude, vida e que me deu

 como troco a mentira e a traição...

Agora, sou liberdade,

 voando sem rumo,

a seguir a brisa da felicidade...

O sol da alegria, a lua dos apaixonados,

as estrelas da esperança,

que me apresentaram meu novo amor.

Vai, sai da minha frente:

 quero voar!

Paulo Nunes Junior


 

 

 

 

 

Indique este Site!

 

VOLTAR