Deparei-me na estrada da vida com uma curva chamada paixão.

Ali, encontrei teus olhos que penetraram minh’alma...

Sensação de voar entre os pássaros, liberto. Um grande e único condor.

 Imaginando ser o universo pequeno para abrigar esta sensação,

Logo, descobri. - Estava eu a conhecer o amor!

 

Entre todas suas formas passei a viajar contigo nesta estrada,

(que nos prepara muitas surpresas...)

Braços dados, corações entregues,

a luz dos olhos que encanta a quem está perto...

 

A malícia em cada canto,

em qualquer um deles momentos de êxtase,

 colocando o aroma do corpo em paredes, tapetes, lençóis...

Que importância teria...!?

O que importava era tão somente amar.

 

Nessa viagem...Nesta estrada...

Semeei ao teu lado jardins de encanto,

Entregando-te tesouros que poderiam invejar a tantos olhos,

Força tal dominante que ao passar entre espinhos nosso suor,

em noites mágicas, cicatrizavam as feridas criadas por outros...

 

Anos se passaram,

Pudemos, enfim, ver nossos desejos mais íntimos realizados...

Mas veio a dúvida e ela te levou para um campo desconhecido

onde não pude ver o brilho ao teu redor...

Entre lágrimas de sangue parti  em retirada...

 

Sentindo na alma que todos os meus dias,

agora já não se faziam com luz...

Mas, nas estradas que percorri,

volto para colher as flores que semeei...

Acreditando não terem sido lançadas ao acaso...

 

 

Paulo Nunes Junior

SP Brasil


 
 
 
Edição e Arte:
 
 
 

Indique este Site!

voltar