Em Algum Lugar do Passado

 

 

Ah...Doces dias de primaveras intermináveis,

Como duas crianças a agir entre os caminhos apresentados,

Nas noites de amantes vivendo perigosamente

Em que à entrega não importava o lugar...

Ah...Dias aqueles em que nossas mãos entrelaçadas

geravam a força necessária para construção

de um mundo mágico em torno de nós...

 

Ah, tempo aquele a qual enfrentávamos as adversidades juntos,

Chegando sempre ao final como vitoriosos,

Tempo que de nossos jantares fazíamos encontro de nossas almas,

em meio as velas que apresentava sua luz

como pássaros amantes,

buscando entrelaçar nossos corpos de nossos dias

momentos de lembranças eterna...

 

Ah dias aqueles que contigo percorri universos inexplicáveis

sem temor a nada, em busca sempre de momentos novos,

de inspiração as nossas almas,

momentos em que a história se fez...

Como uma sementinha jogada ao relento

que encontra o seio terra e germina

tornando-se árvore frondosa impossível de ser derrubada.

Oferecendo aos corações incrédulos

sombra necessária de aconchego e esperança...

 

Ah, dias aqueles...

Em que fizemos de nossos atos exemplos aos corações

que saltava de emoção a cada encontro novo...

Magia aquela que a cada pôr-do-sol

oferecia mais tempo para amarmos...

 

Afinal, agora em solidão...

Lembro-me que em algum lugar do passado te perdi,

Ah, se controlasse o tempo vestir-me-ia de lua solitária,

postava-me frente a ti e em teu mundo...

Para poder de tua silhueta

fazer minha visão mágica da eternidade!...

 

Paulo Nunes Junior

SP- Brasil

 

Indique este Site!

 

voltar