Onipotentes!...

 

Ah! Pelos caminhos da vida...

Deparo-me com seres que se julgam acima da lei,

acima dos outros,

e se acham absolutos...

Alguns se dão títulos...Como:

“ - Eu sou grande! Eu sou o melhor!

E, até mesmo... Eu sou o único!...”

 

Seres estranhos,

que parecem acreditar neste absurdo.

Seres, que porque conquistam algo,

fazem questão de se sobressair

olhando às pessoas como se todas lhe fossem menores,

seres inferiores, perante o tal,

que se auto denomina senhor de algo...

 

Existem, aqueles ainda, que vão e se colocam como juizes,

se sentem no direito de julgar, criticar e mais; perseguir...

Estes mesmos seres tão pequenos a vista da Vida...

Fazem dos seus julgo sentenças implacáveis...

Saem em busca da destruição, perseguindo,

difamando, inventando, criando...

 

Buscam com isto se auto-afirmar como sendo únicos,

E, todo aquele que se apresente em seu caminho

com luz e competência

é logo declarado “pessoa não grata”

e, ai dá-se início à perseguição...

 

Alguns na sua auto-defesa

e com medo de perderem sua “onipotência”

vão logo destruindo, expulsando àqueles

que lhe apresentam perigo em suas mediocridades.

Estes senhores e senhoras,

falam muitas das vezes de amor,

Pregam, e até parecem aos olhos de muitos sensuais,

mensageiros da justiça...

 

Mas, logo, mostram sua face ao tentarem destruir

os que passem a ganhar a simpatia de um grupo...

Eles, em sua cegueira,

não se dão conta que o amor vence a tudo...

E, que por mais que possam semear seus atos insanos

logo após, todos observarão...

Quem afinal estava ao lado do bem...

 

Mas, a estes “onipotentes” devemos lançar nossas orações;

Certamente, não se deram conta

que um dia se encontrarão com o único Onipotente.

E, ali, as contas lhe serão apresentadas...

A minha esperança está:

- Que mesmo estes se dêem conta de seus erros,

Vejam que somos todos iguais...

 

Desçam de seus tronos...

Entrelacem suas mãos à humildade,

Sejam companheiros do amor

vivendo entre irmãos, onde não seremos diferentes...

Enfim, onde seremos todos iguais,

pois, assim deseja

O único onipotente do universo...Deus!

 

Paulo Nunes Junior

 

 

 

Indique este Site!

 

voltar