Felicidade...

 

 

 

Quando nos apresentamos ao mundo o primeiro gesto, o choro...

 

Com ele provocamos a felicidade de nossos genitores

 

e todos que ao nosso lado se apresentam.

 

Começamos a crescer em volta de nossa família

 

que faz a projeção de uma felicidade concreta para nossos dias...

 

Assim, é a luta de nossos pais que batalham sempre pensando em nossa felicidade e, quando crianças, protegidos pela senhora maior; chamada inocência...Não nos damos conta disto, crescemos, e nos deparamos com os amigos e com eles vêm as primeiras lágrimas...

 

Quando podemos perceber ao longo do caminho que não só os de corações puros que se fazem presentes ao nosso redor e muitos daqueles a qual confiávamos e esperávamos muito nos dão as costas.

 

Continuamos nossa luta, nos projetamos, mais adiante, para o futuro procuramos, então, nos atirar aos estudos, projetar uma vida repleta de felicidade e coisas materiais para nossos pais, irmãos, enfim, nossa família.

 

Anos se passam para alguma conquista e quando ela vem...De repente, bate a nossa porta  um anjo mau chamado morte. Nos leva nosso paizinho, nossa mãezinha.

 

Pronto! Cai nosso castelo e ficamos mais uma vez companheiros da tristeza e da dor...

 

Resta-nos procurar depositar todas nossas cartas ao nosso grande amor, ou para alguém que permaneceu ao nosso lado diante das tais provações...

 

E, caminhamos juntos e construímos um jardim lindo e quando as tais flores começam a despontar para nos saudar e companhia nos fazer sem motivo nenhum vem a separação seja ela corporal, ou espiritual...Pronto, mais uma vez se foi o sorriso e a tristeza entra porta adentro de nossa alma!

 

Quanto procuramos ser simplesmente felizes?

 

Felizes no amor, felizes em nossas realizações, felizes com nosso pais, felizes com nossos amigos, e quantas vezes, deparamo-nos com a tristeza a se fazer senhora...Afinal, fica a grande pergunta:

 

Existe alguém totalmente feliz?

 

Se existir; antes não teve que vencer a senhora tristeza e por ela passar?

 

Talvez sim, então resta-nos simplesmente contar com Deus, nos entregar em suas mãos e concedermos coragem para aceitarmos nossas derrotas, impostas pela tristeza...E nos fortalecermos com muita esperança para que possamos um dia afinal, gritarmos:

 

- Somos Felizes!

 

 

 

 

 

Indique este Site!

 

voltar