Miragens

 

 

Quando fecho os olhos

 e embalado em sonhos mágicos,

 que me levam ao teu encontro...

  Sinto-me anjo dentre um vale de amor infinito!

 Acordo e teimo em acreditar neste amor

e agarro-me à Senhora Esperança,

que me faz adentrar as horas

 e tornar-me, mais uma vez, vencedor...

Se utilizo da Esperança,

para me fazer crer em nós...

Faço dela instrumento,

que me leva a acreditar  

que existe lá fora corações puros,

 que a humanidade, a tempo,

acordará para o amor...

Querer ver todos entrelaçando as mãos,

sem diferenças, ninguém mais disputando,

 ou repartindo amor: este deve ser ofertado!

Ninguém mais temendo as ruas:

 estas devem ser instrumento

de liberdade de todos;

 ninguém mais julgando-se melhor

 que o outrem, pois todos somos feitos

da mesma imagem e semelhança!

Esperar por um globo terrestre

 sem poluição, onde os rios

voltariam a ser límpidos...

 Os oceanos a ter a magia de encanto

e não serem temidos, como agora...

Ver um planeta, onde o respeito

voltaria a brilhar em todos os lares;

a droga derrotada;

a violência extinta;

 a moral, respeito, amizade,

fraternidade, caridade,

 honradez, fidelidade,

não fossem predicados de alguns,

mas que fossem qualidades

 naturais de cada um...

Enfim,

 miragens de um velho coração,

 que, mesmo cansado, busca sempre forças

para poder continuar a sonhar;

assim, faço destes objetivos de minha alma,

 chamados por miragem,

fonte inesgotável, dando-me o vigor necessário,

 para continuar minha trajetória...

Apenas, peço:

 deixe-me continuar a sonhar!

 

Paulo Nunes Junior

Brasil/SP

08/11/2007

 

 

 
 
 
 
 
 
 


Indique este Site!