Por ti entreguei
tudo de mim...

 

 

Passei então a ver alguém feudal...

Detentor de uma beleza que mais parecia com um anjo,

ele percorria imensos jardins,

beijava cada uma das flores ali existente.

Pude perceber...Que por detrás dos arbustos,

 existia sempre um vulto a olhar e perseguir este ser de tamanha beleza.

 

Que saia de seus jardins majestosos, percorria povoados

distribuía entre os menos afortunados, alimentos, vestuário,

e muito carinho... 

Meus olhos se encantavam com aquilo que via de cima do grande rochedo.

 

Eis!... Que percebo aquele lindo ser de volta a seu jardim, 

lá, detrás de um dos arbustos, surge aquela pessoa,

que lhe pega aos braços e lança-lhe um beijo!

Neste instante...Pude ouvir que um estrondo...

 mais parecido como um grande raio,

se fez presente em tudo que eu via...

 

Pude ouvir os dois...

E o que detrás dos arbustos estava prometera amor eterno,

o outro, ser anjo, encantado disse-lhe: Eterno?

E ouvi a resposta: Sim!...

Mas para isto quero tudo de material que tenhas,

como prova de que você acredita em mim!...

Daí...Pude ver que o tempo corria...

O ser, anjo feudal, entregou tudo que possuía para aquele outro

que, rapidamente, destruiu tudo em coisas supérfluas e pecaminosas.

 

Assim...Acabou o grande palácio, os jardins...Enfim, tudo do feudal.

Vejo então os dois sozinhos caminhando pelo mundo,

pois aquele que lhe pedira tudo,

além de perder todas as coisas ainda devia à assassinos.

Aquele ser puro, de luz, passou a caminhar entre vários continentes.

 

Até...Que se depararam, os dois, em um grande deserto.

Lá, são capturados pelos perseguidores da procurada,

É quando o ser de luz, colocasse à frente, e fala:...

- Não, ela não!... Ai, então, os assassinos dizem:

 - Então queremos um de seus braços!...

E, ele oferta. E decepado foi!...

 

Partem...Mas nisto, outros credores surgem...

E, mais uma vez, o ser coloca-se a frente e,

estes, pedem pela vida dela uma de suas pernas,

 ...Ele dá!...

Nisto...Aleijado, se vê só...Ele e aquela mulher no deserto...

Quando ela lança os olhos sobre ele e diz:

- Nossa você esta horrível!...

E parte lhe deixando à míngua no deserto.

 

Até...Que passa por ele um ser e lhe pergunta:

Homem o que posso fazer por ti?!...

E, ele diz:

- Decepa-me o resto!...Pois, agora nada mais sou!

O homem então se vira: - Nossa o que perdestes?...

E, ele responde:

Pelo amor entreguei tudo de material...Partes de meu corpo...

Agora sou um monstro!...

Ai...O tal ser estranho, com uma voz que ecoava entre o deserto perguntou-lhe:

- Mas por este amor entregaria seu coração a mim?...

E o feudal respondeu: - Este eu entreguei ao mundo!...

E o ser lhe indaga: - Ao mundo?

- Sim!...Entreguei à todos...

E fui recompensado com a indiferença, a traição, a falsidade, a intriga,

depois, acreditei neste amor e agora sou isto um retalho de gente!...

 

Eis, que neste instante, o ser intrigante lhe oferece as mãos...

E ao encostar nela, o dia se faz noite, as estrelas surgem...

E o ser lhe fala agora você é meu!

Veja...Serás dentre às estrelas...

A estrela da esperança do amor!...Venha!...Basta de sofrimento!...

E assim, dos céus surgiram seres de asas e levaram para o infinito

aquele feudal em companhia do ser misterioso...

 

Paulo Nunes Junior

28/01/2006

 

Indique este Site!

Voltar