VERSOS DO ANOITECER

*Aurea Abensur*
(Orinho)

Nas areias mornas
de nossas dunas te esperando,
sinto as nervuras das horas se esvaecerem
ao longo do dia.
Uma chuva de luzes levando
como se maravilhas fossem
a vida sob os raios do astro mor.
Espero-te ouvindo a noite sobre mim cair
sentindo sua beleza frágil a me envolver,
fazendo-me escrava
de ti e dos seus calados sons.
Vento, farfalhar de folhas,
réstias de uma romaria,
eu arfando mas, te esperando.
Anoitece e não vens!
O céu cravejado de brilhos estelares
Translúcidos nas águas dos meus olhos
A tristeza se inscreve
e eu nesta ânsia anoiteço
 
Salvador, anoitecendo...
 
 
 
Despertar para o amor!...
 
Carrego-te nos braços,
e entre as dunas te amo
entre as ondas banho-te
sob o luar que agora domina o tempo
ilumino-te...
 e se faz presente entre nós...
Amando-te entre as forças da natureza
que se confundem com este sentimento
que desperta em mim
Nasce tão forte como um maremoto
Aquece-me a pele como o sol,
ilumina meus caminhos como
sendo minha constelação estrelar,
e digo a teu coração:
- Chega de tristeza
de hora em diante em teu coração
só a lugar para o sorriso do amor!...
 
Paulo Nunes Junior
17/04/2006
 
 
 

Direitos Autorais Reservado

Lei nº 9.610

 Indique este Site!

Voltar