ÚLTIMO ADEUS


A canção que sorri em meus lábios,
 resquícios que em mim restaram,
 fragmentos em feridas que sangram,
são chagas abertas no meu vazio.

Em meio ao silêncio do nada, eu deito
toda tristeza nos versos que canto
gotejando toda a dor cravada em meu peito
a saudade de ti, meu doce remanso.

Cerraram-se as cortinas ante o último beijo selado,
descendo o negro véu, meu coração foi retalhado
Sangrando minha alma, restaram a mim, pedaços teus
o teu sorriso exangue, naquele último adeus.


Milamarian
Japão
15.05.2006
 
***************
 
 
NOVA VIDA!
Paulo Nunes Junior
15/05/2006



Da canção que me chega de ti,
sinto que teus lábios são de mel
tuas chagas vou curar,
com o bálsamo de meu amor

No silêncio de nosso mundo contigo fico
teus versos são canto do encanto dos pássaros
tuas dores posso sentir e frente ao oceano
dividir as dores que comungamos

Uma fresta restou e por ela teus lábios
 no véu de luto, coloco o colorido das flores
teu coração agora é meu, tua alma minha gêmea
do último aceno o reinicio de uma nova vida

 
Paulo Nunes
15/5/2006


 
 
 

Indique este Site!

Voltar