Solidão...

Vem toma conta de mim!...

 

Atormentas-me a alma com a profundidade da dor,

do silêncio, cansa-me o ser...

Tira de mim o que de mais puro tenho

ao mesmo tempo que me é companheira protetora...

 

Ó sentimento ingrato!...

Companheira dura, porém protetora.

Seria eu um fraco em procurar em ti, agora proteção?...

A este coração que descobre a verdade.

A dor de ter sido traído na lama das impurezas...

 

Logo eu, ó senhora!?...

E agora, eu e você!...

Adoto-te por companheira,

para proteger-me de futuros medos,

futuras frustrações e de futuras traições...

 

Ó medo!...

Foi você que me apresentou a esta senhora,

que a muitos é bruxa e a mim será companhia...

 

E agora, eu e você!...

Vamos percorrer o mundo!...

Dai-me forças às minhas mãos!...

Traduza aqui!...

Tudo aquilo que meu coração sente

neste tempo de ingratidão em que vivo,

de esquecimento, de fuga.

 

Senhora vem!...Entre e domine,

Mas não me castigue além do que já fui...

Jamais permita que meu coração se abra

a estranhos e aventureiros sentimentos.

 

Vem!...Proteja-me!...

Coloque-me, por vezes, no escuro...

Para que eu não possa ser notado.

Vem!...

Domina-me as entranhas...

Sejas minha companheira...

Protegendo-me das desilusões,

das dores do amor não correspondido!...

Vem!...

Toma lugar ao calor que sinto em minha alma!..

Toma meus desejos mais quentes!..

Apague a chama do prazer!...

Faz-me frio e inerte aos sentimentos selvagens.

Faz-me quase puro,

proteja-me de mim mesmo, de meus desejos!..

Quero fugir deste sentimento...

Que me cobra coisas que não consigo ser!...

 

Vem...Senhora que és agora minha companheira!...

Proteja-me de tudo isto que me fere o coração,

abala minh´alma e me faz quase desistir da vida...

Vem senhora, penetra em minha vida!...

Dê-me o aconchego da tua muralha protetora,

Aos sentimentos que me castigam!...

 

Pois enfim contigo estarei!...

Só eu e você!...

Enfim no meu canto.

Protegido de tantas dores, tantas marcas...

tantos descasos...tantas traições!...

Vem toma conta de mim!...

 

 

Paulo Nunes Junior

30/12/2005

 

             

 

 

Solidão
®Tania Lemke
 
Sentada em minha sala...

Perdida em meus pensamentos...

Para onde irão?

Para onde irei?

Solidão enorme me invade

Como sentir-se só quando a temos como nossa companheira?

Eterna companheira, vai mas sempre retorna,

E bate em nossas costas e nos diz:

-Pensou que te abandonaria?

Jamais...

Ela se mostra da maneira mais matreira,

Um icq vazio, uma tela em branco...

Um telefone que jamais toca...

Uma noite que não passa...

É essa minha amiga e companheira Solidão!

Um copo abandonado de cerveja,

sozinho num canto da mesa!!!!

Solidão é abstêmia!!!!!

Tão sem gracinha ela....

Mas é companheira, isso é!

Esta sempre disponível!!!

Ela abriu minha agenda em cima da escrivaninha:

Olha ai, vamos sair com esse povo?

Eu olho com carinho para ela e digo:

-Para que, minha querida....

Só você vai se divertir,

Pois irá continuar lá, ao meu lado, firme!

Tanto faz lá, como aqui com você,

Minha amiga Solidão....

Melhor aqui...

Assim ao menos você, minha querida amiga,

Conversa comigo!

 

             

Voltar