MENSAGEM DO MENTOR CHRISTIAN REIS

 POR SEU FILHO ESPIRITUAL FICASEO

 

Falemos hoje dos homens e de suas trocas de valores...

Comecemos então, a falar de alguém

que conheci a muito tempo atrás...

Um senhor sério, de idade, responsável por tantas coisas.

Sobre seus ombros, pesavam já, inúmeras e inúmeras responsabilidades... Repentinamente, este senhor,

 olhou para um lugar esquecido, sem luz, sem vida e disse:

- Não, nada pode permanecer no universo assim,

Vá Arcanjo!...

Faça-se então a luz! E fora criado o Sol...

Faça-se então a terra! E fora criada a Terra...

Que haveria dela ser produzida o alimento

daqueles que viriam depois...

Faça-se então os mares! E, assim, foram feitos os grandes e imensos Oceanos...E, neles colocados também os peixes

que seriam alimentos para aqueles que viriam depois...

E assim fora feito...

As florestas, os pássaros, os rios. E, por fim, toda essa criação,

esse desenho de Arcanjo, haveria de ter um toque final e,

ele haveria de ser o homem!...

O Senhor que pediu a Arcanjo que criasse tudo isto

é dono disto tudo!...

 

A terra então, aos poucos,

foi sendo dominada pelos tais homens...

Criaturas das quais se esperava, certamente,

de que mais atendessem as sensibilidades de seus corações

do que pensassem em possuir...

Possuir...Tanta coisa que se vai... que se vai pelo tempo.

Esse senhor ele é dono do sol, ele é dono da lua,

ele é o senhor das estrelas, ele é o proprietário dos oceanos,

ele é os senhor absoluto de todas as terras,

ele é o comandante de toda a natureza, e

de todo ser vivo, de que inclusive, o homem convive e faz uso...

 

Este senhor absoluto, nunca demonstrou sua força,

sendo ele dono disto tudo, certamente, aqui mesmo,

se déssemos a propriedade e o poder em que algum,

dentre vós, exercesse o comando sobre a lua, sobre a terra,

sobre os oceanos, sobre as águas doces, sobre os pássaros,

sobre as florestas, haveria, talvez, estas mãos,

de pedirem algo em troca e,

haveriam de pedir alto, muito alto...

 

Este Senhor, que é meu Pai, que também no decurso,

observando que a humanidade nem mesmo

com a presença encarnada do espírito de seu filho, em corpo,

pôde entender aquilo que ele desejava para todos.

Fez com que nós, espíritos superiores, deixássemos nossa pátria,

afim de que pudéssemos, enfim, trazer a verdade,

o conhecimento, a paz, a alegria e o bem-estar,

o reencontro de cada um consigo mesmo... 

Este Senhor, proprietário de coisas em que nenhum homem

por mais poder que tenha sobre a terra

pode se dizer proprietário,

Ele tem pedido tão pouco a seus filhos.

Ele pede o amor, Ele espera o respeito, Ele espera a lealdade,

Ele aguarda com ansiedade de que todos sejam dignos e,

de que entendam perfeitamente, o que é ser um ser digno...

 

Tão pouco é pedido por esse Pai.

Por esse Pai que oferece tanto...tanto...

No entanto, aqui mesmo sobre a terra, talvez,

possa buscar até mesmo um exemplo mais próximo.

Aqui mesmo entre meus três filhos,

representantes desta dignidade, deste amor esperado,

desta fraternidade, desta lealdade,

aqui mesmo não houve o sentido Pai...

Três órfãos,

que depois de crescidos, conheceram a luz,

o caminho, o carinho, o respeito, o amor e Deus...

Através de um pai que nunca lhe estendeu as mãos

para agredir sua carne, mas sim, ofereceu-lhe a mão,

sempre com carinho e, cicatrizando talvez,

as feridas mais profundas,

de sentimentos que arrombavam os seus peitos...

Um pai que nunca teve a necessidade de dobrar uma cinta,

um arreio, para ensinar o que era certo ou errado...

Um pai que em instante algum estivera cobrando

sequer hábitos, horários, pensamentos.

Porque foi através da liberdade e respeito

de que este pai vos conduziu a dignidade.

 

Quantos pais não geram seus filhos e cobram deles coisas

que nem mesmo meu Pai, que possui o mundo, lhes cobra?...

Quantas vezes o único caminho encontrado,

por pais que estão cegos, para educar os seus filhos

são realmente a utilização das mãos e da violência?...

Quantos pequenos pedem a benção a seu pai,

não por amor, mas, sim, por medo?...

Que filho é este?

Que ser e este, que haveria de estar sendo criado por este pai?...

Que ao rogar-lhe uma benção, roga-lhe porque crê,

que se não fora pedida a benção será advertido

até mesmo com a violência?...

Não seria o instante, enfim, de todos os humanos,

olharem para o redor e observarem

de que um Pai com tamanho poder,

proprietário de tanta coisa,

nada mais pede a seus filhos do que o amor,

do que o respeito, do que o carinho, do que a lealdade?!...

 

O homem aprendeu a fazer filhos

para sentir-se homem sobre a terra!...

A Mulher deseja ter seus filhos para sentir-se,

enfim, mãe sobre a terra!...

Meu Pai, dono de vossos espíritos,

porque vossa carne nada vale,

talvez, não vos cobre esta posição...

Talvez, ele deseje que a cada instante

em que vejam uma criança esperada sair do seu útero,

ela seja recebida com amor, com dignidade, e não só

naquele instante, mas, como em todo o decurso

de sua passagem sobre a terra.

Que bem mais precioso pode haver do que o amor?...

Que Pai mais poderoso pode haver do que esse,

que é dono do sol, da lua, enfim, de tudo?...

De tudo aquilo que vos serve. E o que este Pai vos pede?

Tão pouco...Pouco...

 

Na terra, os homens trocam valores,

valores monetários que ficam...

Porque ao fundo, podem eles, irem para uma terra;

podem eles, irem para um ataúde de luxo, ou não,

todos eles se vão...

Cada qual se encontrará comigo em meu plano e,

cada qual, receberá sua sentença de meus ministros.

Utilizem vossos valores sempre com dignidade...

Façam com que aquilo que recebam através de vosso mérito,

de vosso trabalho, seja ele grande ou pequeno,

nunca sejam capazes de transformar as vossas mãos,

o vosso interior.

Não deixem, nunca, que as moedas vos comandem os sentidos.

Porque o dia em que, deixarem com que,

as moedas que vos são colocadas à frente,

pela quantidade que vos são colocadas à frente,

comandem a vossa vontade,

deste dia em diante, certamente;

não estarão sendo filhos de Deus,

mas sim, escravos...

E, só existe alguém; em um plano bem afastado,

em um plano bem escuro, em um plano bem distante,

que não deseja filhos e, sim escravos este alguém...

 

Se tem em tua casa um vaso de cristal,

não importa que em teu vaso, coloque uma tulipa rara,

ou, coloque uma rosa colhida talvez, no jardim de tua casa;

ele certamente será teu e será de cristal...

O encanto da flor não esta em sua raridade,

ou em seu preço, não!...

O encanto de toda flor, esta certamente,

naquilo que você conseguiu

para que ela pudesse ser embalada, aconchegada...

Pensai!...Cada um de vocês.

Que comemoram dentro das próximas horas, o tal dia dos pais. Reflitam, pensem e talvez,

comecem o dia pedindo ao Senhor meu Pai perdão,

sua benção, e com uma oração...

 

E, cada qual, haverá no instante próprio

de ter o seu vaso de cristal.

Ele haverá de abrigar ou as tulipas raras,

ou as margaridas mais simples;

mas isto não importa!

Importa que cada qual continue sempre,

sendo filhos destes valores; os valores do amor,

da lealdade, do respeito, do carinho, sempre...

Sempre com a mesma resignação de que o Filho de meu Pai,

encarnado sobre a terra, vos deixou como lição...

Eu vos abençôo em nome do Pai; do filho; e do Espírito Santo!...

 

Christian Reis

Enviado por Ficaseo

Véspera dia dos pais 1995

 

 
 

Indique este Site!

Voltar