Relutar

 

Retira-te das dores tantas delas profanas

Rebela-te definitivo em concreto análogo

Renuncias as nossas cores, em cinza ufanas...

Renegas as luas felizes em aroma d'enólogo

Ah você meu amigo...

Sacramenta em meu peito mais um tijolo

Carga infeliz também a sina de tua vida,

Compartilhamos até mesmo os dias de tolo

Corremos distantes pra lutas perdidas!?...

Ah você...

De agora, reprimo-te de meus pensamentos

Penso, de tudo não serias deste destino

Não te fui capaz de transmitir-lhe alimento

Ai!

Dizem que rezar alivia-te o desatino

Faltam-me forças de selar-te entendimento

Dei-me tempo, acho tudo tão cretino...

                                                         

(O preto luto lacrou-me o seco tinto...

Quebro assim, por ti, o "Lacre" retinto!)

 

Princips

03/03/06

 

 

Indique este Site!

Voltar