Anis de romã

Princips

 

O sol não aquece minh’alma,

O tempo não cicatriza minhas dores,

A lua não ilumina meu caminho,

As flores não me exalam o perfume,

Os pássaros não cantam para meus males.

 

Os mares...os mares...serão minha única companhia

Lá sufocarei minhas lágrimas

por perder-te...

 

Como virar esta página de minha vida

Se lhe sou verso?

Os ares foram agredidos;

Destruíram meus mares,

Alcançaram as estrelas que eu namorava...

Talvez elas caiam...

 

Caindo...

serão elas o brilho de pequenas partículas solitárias

capaz de guiar o novo amanhecer...

 

Ah amor...

Envoltório serei à tua delicadeza,

pois que és sensível e indefesa,

A camada rústica para que não te quebrem,

nem risquem, nem te arranhem.

Riscaram-te; arranharam-te; Querem quebrar-te!

 

Tu que me és o jardim e dele minhas flores;

Tu que és minha esposa, minha criança e

 disto meu encanto;

Que és minha sabedoria, meus livros e

deles o prazer de minha vida;

Tu que és todo o meu bem e meu amor,

talvez, serás também o meu pesadelo.

 

Princips

01/06

 

Indique este Site!